Narceja

Nome científico: Gallinago gallinago

 Reino Animalia
 Filo Chordata
 Classe Aves
 Ordem Ciconiiformes
 Família Scolopacidae
 Género Gallinago
 Espécie Gallinago gallinago

Distribuição:

É uma ave migratória e em Portugal a narceja é comum como invernante, havendo ainda uma pequena população nidificante no extremo norte do país. Vem para o nosso país a partir de Outubro, completando por todo o mês de Novembro a entrada.

Características:

Caracteriza-se pelo seu longo bico. No seu voo nupcial produz um "tamborilar sonoro" que faz lembrar um motor. Tem cerca de 26cm de comprimento e um voo ziguezagueante, o que a torna numa das espécies mais difíceis de abater.
É uma migradora nocturna e diurna.

Habitat:

Escolhe as margens dos rios, ribeiras e terrenos lodosos. Logo que chega a Portugal espalha-se pelos restolhos dos arrozais humedecidos ou com alguma água, pelos pauis e terrenos alagadiços, isto porque se alimenta espetando o bico na terra de onde extrai vermes ou larvas.
As narcejas devem, também, ser procuradas nos sítios onde haja excrementos de gado bovino ou suíno, que origina as larvas de que tanto gostam.

Alimentação:

Alimenta-se de insectos, larvas, moluscos e vermes, quase todos desenterrados do solo.

Reprodução:

A fêmea faz o ninho no solo, entre as ervas ou juncos, onde põe 4 ou 5 ovos em cada postura. Pode ter duas por ano e a incubação dura cerca de 20 dias.

Espécie Cinegética:

Os dias muitos frios e enevoados são os melhores para esta caça, já que nesses dias esperam mais, isto é, saltam menos longe. Levanta sempre contra o vento e, por essa razão, quando é possível, o caçador deverá procurá-la tendo o vento pelas costas. Mas o essencial é fazer poucos ruídos, visto que ela é tão sensível, arisca e desconfiada que o menor barulho constitui um alarme tão grande que faz com que salte muito antes de o caçador se aproxime.